CAMINHONEIROS
Publicado em 04 de junho de 2018 Comentários

A greve manifestada pelos caminhoneiros merece respeito, foi um movimento legítimo, sem partidarismo, tanto é que, não se viu bandeiras vermelhas ou verde e amarelas, apenas um movimento pacífico de quem tentou uma interlocução com o governo Temer no ano passado, por várias vezes e formas, no sentido de resolver a questão do alto preço do diesel e as dificuldades financeiras por que passa a categoria. Foi uma sinalização de que os brasileiros não são bobos nem peças de ficção, são trabalhadores honestos, que devem ser ouvidos e a eles ofertados bons serviços públicos. O brasileiro não é somente um número na conta de votos em eleições. A greve foi como se os caminhoneiros quisessem dizer, e eles disseram bravamente aos que estão no poder que, “ei poder público! nós existimos, estamos aqui, somos gente, precisamos viver com dignidade”.

E mais uma vez os parlamentares brasileiros mostraram que vivem numa Ilha da Fantasia. Em plena crise deputados federais se comportaram como sempre, na quinta-feira, no auge da crise, saíram em debandada como sempre fazem, para “visitar sua bases”, isso depois de irem ao Congresso apenas na terça e quarta, agindo na contramão de suas responsabilidades, pois era hora de ficar em Brasília para tentar buscar uma solução para o grave momento que o país atravessava. Já Eunício Oliveira, presidente do Senado, pegou um jatinho da FAB e voou para sua terra, o Ceará, para cumprir agenda política de seu interesse.

Quem não entendeu o movimento precisa saber que o caminhoneiro adquire o veículo, normalmente de custo elevado, e paga caro por ele porque o mercado cobra taxa de juros muito alta. Ao final o valor inicial daria para comprar a vista até três caminhões. As parcelas do financiamento são “salgadas”, e para honrar o compromisso, trabalham excessivamente, e se não pagar o financiamento em dia, as empresas de “leasing” e os bancos executam judicialmente e arrestam o bem.

Claro que já estamos “pagando o pato” de novo, mas não por causa do movimento dos caminhoneiros em si, mas em função da ineficiência administrativa que sempre imperou no país. Dilapidaram a Petrobrás, uma estatal que, além de vítima da corrupção, sempre funcionou como grande cabide de empregos para políticos. A conta não vai ficar barata, vai ser jogada de novo nas costas da população. O Congresso e o Governo Temer poderiam reescalonar os R$ 3 bilhões que está sendo destinado por um tal de Fundo de Financiamento da Democracia, para financiar a campanha política de outubro próximo, e redimensionar ainda os R$ 800 milhões que foi destinado este ano para o tal Fundo Partidário, recursos que os partidos utilizam do jeito que bem entendem e prestam conta aos tribunais nas formas já conhecidas.

O dinheiro que deixará de ser arrecadado pelo governo com o PIS/COFINS é cerca de R$ 2,5 bilhões, portanto, menos então do que está sendo drenado para os partidos políticos. Para melhorar a situação dos brasileiros, os Congressistas poderiam abrir mão das vergonhosas emendas parlamentares, aquele dinheiro que o deputado tem disponibilizado para aplicar em obras em suas regiões, e que nem sempre são aplicadas como deveriam, são obras superfaturadas, mal feitas ou inacabadas, etc.

O mais trágico é que, ao contrário do governo se preocupar com a situação da população brasileira – gasolina e diesel caros,  se preocupa é em não perder bilhões em receita, que será muito mal usada e parte desviada. O problema do país não é falta de recursos, mas a falta de aplicação racional desses recursos. Pode-se aumentar o tanto que quiser a receita que ela nunca vai dar conta, porque a questão é a forma, o método.

Por outro lado, empresários “espertos” se aproveitam da situação para ganhar mais dinheiro. No exterior se o petróleo aumenta de preço, seus derivados sobem na mesma proporção, no entanto se desce, os preços acompanham. No Brasil não!. Quando o preço do barril sobe de preço, os derivados vão na mesma linha, se o preço do barril cai, os preços continuam no mesmo patamar do aumento.  Aqui infelizmente funciona assim.

(Whatsapp: 9.8807.1877 – E.mail: crisffiadv@gmail.com)

Por Crisolino Filho

...
...
...
...
...
Comente também.