FALTAM PROJETOS
Publicado em 07 de Fevereiro de 2018 Comentários

Ainda bem que o país que produz, que gera conhecimento, aquele dos cidadãos de bem está descolando da política. O país anda muito bem sem essa tropa de impatriotas e mal intencionados. De quatro anos para cá, o que se viu foi governos e um enorme grupo de parlamentares se defendo de denúncias de corrupção para escapar de impeachment e outros embaraços. Não vamos reeleger ninguém.

Presidentes devem ter projetos de governo para um país, e um dos grandes que se viu por aqui, como está registrado na história, foi Juscelino Kubitscheck, que no seu plano viário concretizou o asfaltamento da Rio-Bahia e outras estradas importantes, iniciou a indústria automobilística, e teve como “slogan” que o país deveria crescer “50 anos em 5”. JK foi um dos pilares da política do desenvolvimento brasileiro. Mas nos parece que querem acabar a qualquer custo com o que foi construído.

Se não fosse a Rio-Bahia, o atraso econômico brasileiro seria ainda mais secular. A estrada, que liga Norte a sul do país, é responsável, inclusive, pelo desenvolvimento de Governador Valadares e região. Talvez o pecado foi construir a moderníssima e desenvolvida Brasília, orgulho do mundo, mas Juscelino não imaginou que sua construção em função da interiorização do desenvolvimento, e afastada dos grandes centros, fosse ser tão favorável à manipulação como está sendo.

Quem dera tivéssemos hoje um presidente que realizasse hoje obras de grande significado, como a duplicação de toda extensão da Rio-Bahia, com um projeto que melhore o entorno de todas as cidades que ela corta, e que pudesse até superar em qualidade rodovias americanas ou japonesas, ainda que fosse duplicada por empresas daqueles países. Ou um presidente que retornasse o projeto Calha Norte, desenvolvido pelo Exército Brasileiro num passado recente, para proteger toda a fronteira da Amazônia Brasileira, que hoje está aberta a predadores de outras nações;

Ou um presidente que investisse maciçamente em educação de base, universidades, ciência e tecnologia, isso com os quase R$ 3 bilhões que é gasto com Fundo Partidário (?) e Fundo de Financiamento da Democracia (?) este do deputado petista Vicente Cândido. Aliás, a democracia brasileira deve andar por si mesma, e não com recurso público. Já que ganham muito bem (ministros, prefeitos, governadores, senadores, vereadores, deputados estaduais, federais e vereadores), esses fundos políticos deveriam ser geridos e o dinheiro cooptado entre seus pares, com descontos nos próprios contracheques, para seus referidos financiamentos.

Ou construísse uma ferrovia como a Norte/Sul em no máximo dois anos, ao contrário dos mais de 10 anos em que se arrastam, e que não concluíram nem a metade. Na parte Norte do país, dos 1700 quilômetros previstos, estão prontos 600. E olha que ela já foi inaugurada com pompa, sorrisos de presidentes para fotos, etc. em véspera de eleições. Um presidente que decida que o PIB do país cresça ao menos sete por cento ao ano, como faz a China, que cresce a uma média anual de 11% há mais de 20 anos, e Ela, que já é a segunda economia do planeta, será a primeira logo, logo.

Ou um presidente que decidisse concluir num curto espaço de tempo todas as obras públicas que estão paralisadas, muitas delas se deteriorando ao tempo, e ajudasse acabar de vez com o desperdício, recursos mal aplicados, falta de qualidade, e que isso foi feito através de auditorias, consultorias, controladorias, inventários, balanços periódicos, fiscalização sistemática, empresas de seguro, e controle de gastos via tecnologia. Essa retomada geraria emprego, renda e devolveria aos brasileiros obras de mobilidade urbana, hospitais, universidades, aeroportos, ferrovias, portos e rodovias qualificadas. Sabemos que isso é um sonho, mas sonhar é necessário, só quem sonha tem a possibilidade de algum dia viver outra realidade.

A que nível o país chegou. Hoje muitos candidatos querem se eleger não porque têm projetos para a sociedade, mas para ter foro privilegiado, como se já tivesse a intenção de fazer coisa errada com garantia de impunidade.

Me postaram no Whats App: O ladrão comum te rouba dinheiro, carro, celular e relógio. O politico te rouba a felicidade, saúde, educação, segurança, transporte e emprego. Você é escolhido pelo primeiro ladrão, mas é você quem escolhe o segundo.

Por Crisolino Filho

...
...
...
...
...
Comente também.